Idealize Ideias
Idealize v0.16.3 (2017-06-20)

Segurança Interna da Prodam

Publicada em 22/02/2017 com 36 pontos, Prata I

Apresentação

Minha idéia é sobre a melhoria da segurança interna da Prodam. Não achei essa categoria, por isso utilizei essa que é a mais próxima.

Essa idéia na realidade é uma constatação, e que gera uma necessidade de mudança urgente, a fim de preservar a Prodam, seu patrimônio, seus empregados e, principalmente, as informações valiosíssimas que armazenamos.

Para contextualizar, conto como aconteceu.

Um certo dia, há um tempo atrás, estava almoçando com colegas em uma churrascaria. Todos devidamente identificados com seus crachás, pois, de forma a não esquecer, e pelo orgulho de mostrar onde trabalhamos, não os tiramos do peito. Mas isso é só um detalhe.

Acontece que o crachá ficava caindo na comida, e por isso precisei tirá-lo enquanto comia, porém, ao sair, acabei esquecendo meu crachá na mesa.

Ao chegar na empresa percebi a falta do crachá, não sabia onde havia deixado, e acabei solicitando a emissão da segunda via, o que foi feito.

Logo depois, um colega me trouxe o crachá que deixei no resturante.

Mas aí está o problema. Como fui eu que criei o primeiro sistema de emissão de crachás da empresa, sei que o código de barras constitui-se apenas da matrícula do funcionário.

Sendo assim, percebi a situação de risco: o crachá não pode ser cancelado, pois a matrícula do funcionário não pode ser alterada.

Um risco muito grande, pois no caso do meu crachá perdido, por exemplo, quem encontrasse poderia adentrar nas instalações da Prodam. Infelizmente os funcionários da portaria não são treinados para essas situações, e com frequência temos funcionários novos que os agentes de portaria não conhecem.

Entrando na empresa, não há nenhuma barreira de segurança que impeça alguém mal intencionado de fazer o que quiser.

E além disso, da hipótese de extravio, há ainda a hipótese de alguém mal intencionado, um ex-funcionário que se ache injustiçado, que saiba as matrículas de chefes e pessoas com livre acesso, possa produzir um crachá com essa matrícula no código de barras, coisa fácil de fazer em inúmeras lojas na cidade, e assim entrar na empresa para fazer o que quiser.

Proposta

Sendo assim, pelo exposto, proponho como solução o seguinte:

Alteração do sistema de ponto e RH para que os crachás da empresa não contenham no código de barras a matrícula do funcionário, e sim um número aleatório, de uma base pré-gerada, com o uso de dígito verificador, de forma que esse número seja associado ao número da matrícula do funcionário internamente, pelo sistema.

Dessa forma o setor de RH pode cancelar o crachá em caso de extravio ou desligamento, e caso necessário, emitir outro crachá com outro número, associado ao número da matrícula do funcionário. O número passa a ser do crachá, que pode ser cancelado, e não do funcionário, que não pode ser modificado.

Além disso, como medida imediata e mais simples, poderia ser definido que após o horário normal de trabalho da empresa seja permitido o acesso somente utilizando a biometria.

Importante lembrar que, em alguns casos, por motivo de doença ou outros, alguns funcionários não tem possibilidade de usar a biometria, por ter suas impressões digitais danificadas e ilegíveis como eu.

Estou aberto e disponível para mais informações e discussão.

add Nova ideia!
Idealize v0.16.3 (2017-06-20)